A ozonioterapia consiste num processo em que é administrado gás de ozônio no corpo para tratar alguns problemas de saúde.
O ozônio é um gás composto por 3 átomos de oxigênio e que pode ser usado para tratar feridas, diabetes, infecções, problemas respiratórios e inflamatórios e câncer.
O tratamento deve ser realizado por um profissional de saúde, aplicando o ozônio localmente ou injetando via intravenosa, via intramuscular ou por insuflação.

Para que serve?

A terapia com ozônio funciona interrompendo processos não saudáveis no corpo, como o crescimento de bactérias patogênicas se houver uma infecção, ou impedindo alguns processos oxidativos, podendo por isso ser usado para melhorar diversos problemas de saúde.

1. Problemas respiratórios

Como promove entrada de maior quantidade de oxigênio no sangue, a ozonioterapia é uma boa opção para pessoas com problemas respiratórios, como asma e doença pulmonar obstrutiva crônica.
A entrada de maior quantidade de oxigênio no sangue, provoca um aumento na taxa de glicólise dos glóbulos vermelhos, aumento assim a quantidade de oxigênio liberado para os tecidos.
Além disso, aumenta significativamente a resistência das vias aéreas e a frequência respiratória.

2. Distúrbios no sistema imune

A terapia com ozônio pode trazer benefícios para pessoas com o sistema imunológico debilitado e ajudar a tratar infecções, já que estimula e reforça o sistema imune, porque aumenta o número de moléculas envolvidas na emissão de sinais entre as células durante o desencadeamento das respostas imunes.

3. Tratamento da AIDS

Vários estudos comprovam que a ozonioterapia pode inativar o HIV, o vírus da AIDS, devido a inativação de uma proteína nuclear do vírus HIV.

4. Tratamento do câncer

Alguns estudos comprovam também que o ozônio administrado em uma concentração entre 30 e 55 μg/cc causa aumento na produção de interferon, que é uma proteína produzida para, entre outros mecanismos, interferir na replicação de células tumorais e estimular a atividade de defesa de outras células.
Além disso, leva também ao aumento do fator de necrose tumoral e interleucina-2, que por sua vez estimula uma cascata de reações imunológicas subsequentes.

5. Tratamento de infecções

A ozonioterapia leva também à inativação de bactérias, vírus, fungos e parasitas. Nas bactérias atua através de um mecanismo que interrompe a integridade do envelope celular bacteriano, levando à oxidação dos fosfolipídios e lipoproteínas.
Nos fungos, o ozônio inibe o crescimento celular em certos estágios e em vírus danifica o capsídeo viral e perturba o ciclo reprodutivo ao interromper o contato entre o vírus e a célula com a peroxidação.

6. Complicações na diabetes

Complicações na diabetes são atribuídas ao estresse oxidativo no corpo e estudos demonstram que o ozônio ativa o sistema antioxidante que afeta o nível de glicemia.

7. Tratamento de feridas

O ozônio pode ainda ser usado para o tratamento de feridas, aplicando o gás diretamente na região afetada. Em um estudo in vitro, observou-se que o ozônio é muito eficaz na redução das concentrações de Acinetobacter amannii, Clostridium difficile e Staphylococcus aureus.

O ozônio pode também ser usado para tratar doenças inflamatórias, como artrite, reumatismo, degeneração macular, hernia de disco, problemas circulatórios, síndrome respiratória aguda grave, em sintomas hipóxicos e isquêmicos e para diminuir o colesterol no sangue.
Além disso tem também sido usado em odontologia, no tratamento de cáries dentárias.